Primeiramente quero dizer que estou super atrasada nessa projeto hahaha Porém, espero ter sido entendida e perdoada por conta do último post... Mas ainda dá tempo, né? Gosto muito da ideia do projeto por falar um pouquinho de coisas pessoais, dar uma “visão geral” da minha vida nos últimos 6 meses e compartilhar coisas que tenho feito e amado! Pra quem não conhece o Taking Stock, é basicamente uma lista de verbos que tenho que responder pra contar o que tem rolado na minha vida! O último que fiz foi em julho… Vamos ver o que mudou desde então?


#Ouvindo... Tentei resisti mas não consegui. Entrei no ritmo das patroas da sofrência! Simone e Simaria, Maiara e Maraisa, Nayara Azevedo, Marilia Mendonça... Estou procurando um antídoto hahaha

#Lendo... Por que fazemos o que fazemos? - Mário Sergio Cortela. Presente de natal 💖

#Agradecendo... Pelo que Deus tem feito na minha vida e da minha família esses últimos dias. Pela união que estamos tendo cada vez mais e por Ele ter nos dado o conforto no meio de tanta dor.

#Pinning... Tentando atualizar depois de tantos dias longe.

#Estudando... Voltando a estudar melhor dizer! Faculdade, estou de volta em fevereiro!!

#Pensando... Nos projetos para o futuro (filho) ❤

#Assistindo... Once upon a time. Amando, amando. Assistindo todo dia e toda hora.

#Necessitando... De um bom creme clareador de pele e uma reconstrução no cabelo.

#Planejando... Retornar à Gramado nas férias, dessa vez com o amor.

#Desejando... Um guarda-roupa novinho e enorme!

#Amando... A cor do meu cabelo 😃

#Vestindo... Muita calça comprida por causa de algumas machas de catapora que ainda ficou na perna 😭

#Comendo... Gente, estou viciada em um churrasquinho aqui perto de casa. Como quase todo dia hahaha

#Sentindo... Sono... sono... sono...

#Desfrutando... Da família, dos amigos e do meu amor!

É isso pessoal! Espero que gostem do post e do projeto. Se alguém participa, deixa o link nos comentários pra eu acompanhar.

Beijos



Dizem por aí, que sempre a amor para recomeçar. Mas afinal, o que é recomeçar? 

Recomeçar é dar uma nova chance, é renovar as esperanças na vida, é acreditar em si mesmo novamente. E hoje é um recomeço, todos dias ao amanhecer é.

Passei um bom tempo longe daqui... Sempre que tentava voltar, algo acontecia. Posso dizer que meu ano de 2016 foi bem desafiador, turbulento e vitorioso. Apesar de ter conseguido um emprego logo no começo do ano, meu marido passou bons tempos sem trabalhar, as contas apertava, ele sempre arrumava um jeito de ganhar um graninha e assim a gente ia levando. Finalmente ele conseguiu um emprego que, apesar de ainda continuarmos apertados, pelo menos a gente sabia que no final do mês tínhamos o salário para receber. 

Meu pai ficou doente e necessitou de cuidados e graças a Deus vencemos essa batalha! As coisas foram melhorando, meu marido arrumou um outro emprego bem melhor em todos os sentidos, ate financeiramente e isso me motivou até voltar pra faculdade. E foi o que eu fiz! Me matriculei no curso de Redes de Computadores novamente e agora em fevereiro vou retomar os estudos. Mas a vida é uma caixinha de surpresas...

Minha mãe ficou doente. No dia 14/12 descobrimos que ela estava com câncer no pâncreas e, cruel como essa doença é, ela não teve nem tempo de saber o que tinha. Em pouco tempo minha mãe teve um AVC que a deixou sem falar e com alguns problemas de locomoção. Passamos a cuidar dela e dar todo nosso amor e carinho, parecia uma criança grande. O câncer já estava espalhado por vários órgãos e o médico descartou qualquer tipo de cura ou tratamento... Foram os dias mais rápidos e mais tristes que já passamos até hoje. Eu acredito no poder de Deus, sei que se fosse da vontade Dele, minha mãe seria curada, mas sempre pedia a Ele que ela não sofresse... E eu sei que Ele me ouviu... Minha mãe partiu no dia 04/01... 

Tivemos o natal mais triste de nossas vidas... O ano novo mais doloroso porque ela não conseguia comemorar com a gente. Todos nós irmãos e alguns netos, tivemos a oportunidade de estar com ela no hospital enquanto ela ainda estava lúcida. Ela às vezes chorava mas sabíamos que eram lágrimas de alguém que não queria que a gente estivesse ali. Demos todo o amor e carinho que podíamos dar pois sabíamos que seriam os últimos. É muito difícil fechar os olhos e saber que ela não está mais aqui. Que não passarei mais os sábados ou domingos com ela, que não ligarei mais na semana para contar as novidades ou somente para perguntar como ela está. Meu coração está com um buraco que nunca vai se fechar mas um dia vai parar de doer. O que me deixa aliviada é saber que ela não sofreu de dor, que não sofreu quando partiu. Deus cuidou dela em cada momento e ouviu as nossas orações. Sei que Ele irá confortar os nossos corações e sei também que ela agora descansa...

A saudade é imensa e ela nunca vai acabar, sei que ainda vou chorar durante muito tempo, mas sempre terei ela aqui dentro de mim. E um dia iremos nos encontrar...

Então vamos recomeçar. Em tudo! Vamos colocar os planos pra frente e ser feliz, pois eu sei que era isso que ela sempre quis. A nossa felicidade!

Que esse novo recomeço, seja cheio de novidades e muitos sorrisos. ❤

Feliz 2017


Olá meninas, tudo bem? Finalmente voltei pro blog e hoje trago uma resenha de um produto de cabelo que é o meu amorzinho ❤


Conheci esse produto há mais de um ano, quando me mudei e mudei de cabeleireira. Ela me fez uma pequena apresentação, fazendo uma hidratação no meu cabelo e eu me apaixonei! Tanto pelo cheiro, quanto belo brilho e maciez que o produto mostrou.

Descrição do fabricante:

Máscara de tratamento para hidratação e nutrição que fortalece os fios, recuperando cabelos que precisam de cuidados especiais. Elaborada com potentes ativos que oferecem nutrição intracelular. Hidrata profundamente, sela os fios e repõe a massa capilar.


O produto tem sete componentes ativos que prometem anabolizar o seu cabelo.

  • Óleo de coco: Contém vitamina E, vitamina K e minerais que nutrem e reparam os fios danificados, sendo um produto altamente recomendável para cabelos crespos por amaciar e dar brilho;
  • Queratina hidrolisada (brasileira): Proteína que possui a função de envolver o fio com uma película, dando mais elasticidade e resistência, além de fortalecer e hidratar;
  • Arginina: Aminoácido que estimula a microcirculação e nutrição do bulbo, essencial para o crescimento do cabelo e para evitar a quebra;
  • Creatina: Age contra o envelhecimento do cabelo, diminuindo os danos causados por diversos fatores externos e garantindo a durabilidade da cor;
  • Proteína de soja: Auxilia na formação dos tecidos do cabelo ao nutrir e tornar os fios mais resistentes;
  • Proteína de trigo: Repara as escamas de queratina dos fios danificados, controla o volume e encorpa o fio, além de reter água e dar flexibilidade;
  • Vitaminas do complexo B: Oxigenam a fibra capilar, ajudando a criar a melanina que é responsável pela cor do cabelo. Também previne a queda e deixa os fios mais saudáveis e fortes.

Como eu uso: lavo o cabelo com shampoo e aplico a máscara em todo o cabelo, priorizando as pontas. Deixo agir por 15 minutos e retiro bem. Você deve retirar bem o produto, pois como ele possui queratina, pode queimar as pontas se você usar o secador ou a prancha.

O que eu achei: o creme é muito denso, como uma manteiga. O cheiro é super gostoso. Como ele é bem grosso, não penetra bem na raiz mas você pode dar ums esfregadinha com a ponta dos dedos. Meu cabelo fica super brilhoso, macio mesmo depois do secador ou da prancha. As pontas da minha franja estavam super ressecadas e ficaram ótimas com apenas duas aplicações (juro!) Outro ponto que eu gostei bastante é que meu cabelo cresceu bem mais rápido depois que comecei a utilizar o anabolizante da Natumaxx.

A máscara tem textura firme e espalha super bem, ou seja, dá para utilizar diversas vezes porque RENDE. Com o uso a cabeleira fica com aspecto saudável, sem frizz e com brilho invejável. Resultado final incrível!

O Anabolizante Capilar da Natumaxx vem com 250gr e você pode comprar direto com a revendedora aqui. O Studio Aline Amaral é excelente no atendimento e perfeição em tudo que faz, super recomendo!




À primeira vista, pode parecer contraditório que em um setor altamente tecnológico, como o de TI (Tecnologia da Informação), possa existir práticas retrógradas no ambiente do trabalho e no relacionamento com os trabalhadores. No entanto, a realidade nos mostra que não é.


Uma das coisas que eu gosto mais em ter um blog, é poder desabafar e gritar quando não posso fazer em uma rede social por motivos éticos. Pra quem ainda não sabe, trabalho com TI há mais de 4 anos. Já fui a única mulher da equipe durante uns dois anos e nunca, nunca mesmo, fui tratada com indiferença, sofri algum tipo de rejeição ou preconceito ou até mesmo assédio sexual.

A ideia de igualdade de tratamentos e de oportunidades, no entanto, era acompanhada por discursos que reforçavam diferenças: as mulheres seriam melhores atendendo clientes, as mulheres seriam melhores trabalhando como analistas, as mulheres seriam menos capazes de programar. Entre outros achados, pude notar que a discriminação das capacidades técnicas das mulheres cria uma divisão sexual do trabalho dentro do setor: enquanto eles cuidam da parte hard da TI, elas cuidam da soft. E foi exatamente isso que aconteceu comigo hoje!

Sempre fiz atendimento de hardware, inloco ou via remoto. Nunca fui impedida de ir pelo fato de ser mulher. Claro, em alguns casos ~infelizmente~ devemos evitar fazer atendimento em salas individuais de clientes, pois precisamos evitar certos desconfortos. O que no normal não deveria acontecer porque nós mulheres devemos ser respeitadas. Mas enfim, ouvi do meu mais novo chefe que não poderia fazer atendimento inloco para evitar assédio sexual... Oi? Sério isso? Quer dizer que eu tenho que me privar do que minha profissão pede ou mudar de profissão por conta disso? 


Em uma pesquisa intitulada de “Elefante no Vale”, que detalha experiências de assédio sexual e moral em empresas do Vale do Silício, 60% das mulheres que trabalham com T.I. já sofreram assédio sexual. O assédio sexual é constituído por atos, insinuações, contatos físicos forçados, convites inconvenientes, que se apresentem como condição clara para manter o emprego, influenciar em promoções, em prejuízo ao rendimento profissional, que causam humilhação, insulto ou intimidação. 

Isso me faz ver os motivos dos quais muitas mulheres desistem da área de TI ou apenas nem querem começar. Eu poderia ter escolhido trabalhar com programação, com gestão, mas não, eu escolhi trabalhar com suporte! Fazer atendimento, pegar pesado na parte de hardware e eu quero poder trabalhar livremente. Sem ser impedida pelo simples fato de ser mulher. Admitir que a diferença entre os sexos ainda gera desigualdade no mercado de trabalho e construir políticas reais de combate ao assédio e à discriminação seriam a única maneira de essas e outras empresas construírem um ambiente de trabalho equitativo e igualitário. Uma pena que ambas não tenham aproveitado a oportunidade. 

Então, na minha opinião é que devemos mostrar que somos tão boas quantos os homens em qualquer profissão. Que merecemos respeito e que as empresas fiquem do nosso lado. Não somos nós que devemos ser chamadas a atenção, entenderam? Não devemos desistir da nossa profissão, do que gostamos de fazer por falta de uma palavra tão importante: RESPEITO!

O assédio sexual é difícil de ser comprovado pelo fato de envolver apenas duas pessoas: o assediador e o assediado. Sem contar que muitas vítimas, por receio, preferem o silêncio, com medo de perder o emprego – principalmente se dependem dele para seu sustento e o da família, e aí são inevitáveis as consequências psicológicas, como a depressão. NÃO SE CALEM!









A intenção do Setembro Amarelo é chamar atenção de todos nós para a necessidade de falar mais sobre suicídio e não só sobre como ele tem afetado a vida de muitos, mas também o que podemos fazer para reduzir essa estatística.


O que você pode fazer quando identificar sinais de risco? 

Em primeiro lugar, ser um bom ouvinte é essencial – simplesmente ouça, com toda a atenção, não apenas os fatos, mas a sua dor, medos e ansiedades. Não julgue, nem dê conselhos ou opiniões. 

Reconheça o seu sofrimento, valorize o que é dito e demonstre que está disponível para a ajudar. É fundamental que essa pessoa saiba e sinta o quão importante ela é para si, que a sua vida tem valor para alguém e que a sua dor emocional é compreensível e aceitável face às suas vivências presentes.


- Demonstre empatia – procure compreender as coisas não do seu ponto de vista, mas segundo o ponto de vista do outro. Não faça comparações. 

- Se essa pessoa que o preocupa não falar abertamente do que sente ou pensa, é importante que tome a iniciativa em conversar com ela. Diga claramente que se apercebeu que o seu comportamento mudou (especifique que mudanças específicas observou) e que está preocupado/a com o que possa ter causado essas mudanças. 

- Não mude de assunto, nem faça comentários do tipo “anima-te”, “vai correr tudo bem”. 

- Não hesite em questionar aberta e diretamente se essa equaciona a idéia de suicídio como uma opção válida. 

- Pode dizer algo como: “Imagino que estejas a sofrer muito, que seja avassaladora a dor que sentes em função de toda esta situação. Estás a considerar o suicídio como opção?”, “Parece ser demasiados problemas para aguentares sozinha. Pensaste no suicídio como fuga?”, “Alguma vez pensaste em deixar tudo?” Essas questões transmitem a mensagem de que existe alguém que compreende a sua dor psicológica e de que a pessoa não estão sozinha. Naturalmente, a abordagem a este tema sensível varia em função da situação e relação de confiança estabelecida. 

- É importante que a pessoa que pensa em suicídio saiba que a sua morte causaria sofrimento nas pessoas que a rodeiam, e haveriam pessoas que sentiriam a sua falta. Por isso, nunca é demais ter 
um gesto de carinho para com ela. Por vezes, a tentativa de suicídio pode ser um pedido de ajuda que se pode evitar se a pessoa compreender, antes de tentar terminar a sua vida, que existe alguém que gosta de si, se importa consigo. 

- Nunca deixe a pessoa sozinha se sentir que existe perigo de ela cometer suicídio, nomeadamente se lhe parecer que a mesma tem um plano concreto de suicídio e já tomou decisões para o pôr em prática. Incentive-a a pedir ajuda especializada (a um hospital, médico, psicólogo, ou psiquiatra) e retire da sua proximidade todos os objetos com que a pessoa se possa magoar. Se for necessário, chame uma ambulância, ou outro tipo de ajuda que possa ser pertinente, rapidamente.