Agora é para valer: nada de colocar o despertador na soneca, deixar para o dia seguinte ou culpar a falta de tempo. Essa blogueira que vos escreve está aqui quase sem poder andar =/

Mas o resultado final que a academia nos dar, faz com que todo esforço seja recompensado. Por isso, nessa minha pequena vasta experiência em levantar peso, separei para vocês, dez dicas pra deixar a preguiça de lado e curtir a academia.


1. Descubra o exercício que combina com você 

Escolha uma atividade que gosta, tem afinidade e que, acima de tudo, sinta prazer em praticar. Isso ajuda a você persistir no exercício e conseguir os resultados que deseja. Na academia, se você se sentir desconfortável com algum equipamento, converse com seu instrutor. Isso ajuda bastante a se livrar daquela "preguiça" só em pensar em fazer tal equipamento. 

2. Comece pelo básico 

No primeiro dia de academia, comece pelos exercícios mais simples e vá aumentando a dificuldade apenas quando você perceber que entrou na sua zona de conforto. Nada de querer pegar muito peso logo no primeiro dia. 

3. Coloque o exercício na sua agenda 

Eleja dias e horários fixos para se exercitar. A atividade física precisa de um tempo determinado (e espaço!) na sua agenda. Reserve esse momento para cuidar de si. 

4. Estabeleça uma meta semanal 

Coloque a frequência, nas aulas ou treinos, como uma meta semanal. E, de acordo com o seu desempenho, procure se recompensar por ter cumprindo esta meta, de preferência fazendo algo prazeroso para você. 

5. Registre sua evolução 

Faça uma avaliação do seu desempenho: nos dias em que praticar alguma atividade, anote em um caderninho ou no celular uma nota de 0 a 10 - sendo que 0 é sinônimo de nenhum esforço e 10 o máximo de esforço possível. A partir disso, construa um quadro da sua evolução. Isso vai ajudar você a perceber até as pequenas mudanças. 

6. Defina seus objetivos 

Antes de começar a treinar, estabeleça duas metas: uma de médio e outra de longo prazo. Depois, descreva o que você precisa fazer para alcançar cada uma delas e qual será a recompensa ao alcançá-las. Dessa forma, você consegue manter a motivação em alta e não perde o foco! 

7. Coloque diversão na atividade 

Essa dica é super importante! Convidar amigos para treinar com você, ouvir as músicas que mais gosta ou malhar ao lado de pessoas interessantes pode ser uma maneira divertida de fazer sua atividade. Além, é claro, de fazer o tempo passar mais rápido. Faça a sua playlist e deixa ela rolar. Depois dou umas dicas de boas músicas para acompanhar nos exercícios. 

8. Ambiente é tudo! 

Escolha um lugar agradável, no qual você se sinta confortável para treinar. Se você não gosta das pessoas e professores da sua academia, procure outra ou vá malhar ao ar livre em um parque, por exemplo. 

9. Encontre um professor que você adora 

O profissional de educação física é a peça fundamental para a sua motivação. Além de supervisionar o seu treino, ele precisa ser uma pessoa em que você confie, goste e considere uma companhia agradável. Márcio, obrigada por pegar no meu pé direto! hahaha 

10. Compartilhe suas metas 

Se você contar seus objetivos para quem torce pelo seu sucesso, terá apoio nos momentos de preguiça. Essa é uma ótima fonte de motivação para retomar as suas metas. Procure se relacionar com pessoas que também praticam esse tipo de atividade. Troquem ideias, dicas e elogios. Eu faço isso e me sinto mais motivada. 

Então, já tem alguém aí separando a roupa da academia pra amanhã? Não quero saber de tênis empoeirado não! Seguindo essas dicas, vocês irão sentir mais prazer e se sentir felizes com os resultados que a academia ou qualquer atividade física proporciona. No pain no again! 



Imagem We Heart It

Eu e uma antiga categoria em todos os blogs: playlist! Mas quem não gosta de música né? Então, eu meio que dou uma geral nas playlists do Youtube em um domingo chato, para achar músicas boas e agora tenho várias para indicar para vocês! YEEEEY. Como é de costume, eu sou bastante eclético nas minhas escolhas, ou seja, tem de tudo por aqui. Vamos lá?













Chega uma hora em nossas vidas que precisamos seguir nosso caminho. Precisamos seguir com nossos próprios pés, arcar com as nossas despesas e criar novas responsabilidades.

Quando a gente decide sair de casa enfrentamos um monte de desafios. Entre eles está escolher um local pra morar, comprar coisas para a casa, gerenciar o orçamento e ainda lidar com a parte familiar. Confesso que pra mim está será uma das partes mais difíceis. Eu entendo toda a preocupação que os pais tem com essa coisa toda dos filhos saírem de casa. Alguns falam que se chama “Síndrome do ninho vazio”, mas eu acho que é mais preocupação se o filho realmente está preparado para encarar o mundo de verdade. Pois convenhamos, ninguém sai de casa totalmente preparado para morar sozinho e lidar com os problemas que acontecem no dia a dia.

Eu estou decidida de que é isso que eu quero, estou trabalhando para que essa mudança na minha vida seja um sucesso. Estou organizando antes de contar a novidade aos meus pais. Já estou me informando sobre os preços de imóveis, condomínio e tendo em mente todos os gastos que serão acrescentados na minha vida. Depois disso, irei comunicar ao meus pais. . Não tem como negar que o choque inicial é inevitável, mas eu preciso disso. Sei que a mais difícil e complicada será minha mãe e estou contando com a ajuda de algumas irmãs pra contar essa novidade. Espero que ela aceite a ideia e perceba que eu não estou os abandonando mas sim começando a minha própria vida.


E quando a gente simplesmente cansa de falar sozinha, o blog nasce! Tentarei aqui deixar minha história ou um pouco dela. Dividir momentos bons e ruins. Compartilhar meu dia a dia.

Bem vindo à minha vida boba!

E para começar, compartilho um texto do Fred Elboni, autor de "Um sorriso ou dois" e "Meu universo particular". Retirado do blog "Entenda os homens", comece a entender um pouco sobre essa que vos fala. =)

Conversando com o meu coração sobre o medo de amar


Sou amor com medo, ou, solidão consciente? Pouco me arrisco, mas, ainda continuo riscando nomes. Lembro da saudade de amar, converso com meu coração e me pergunto, em silêncio, como será daqui pra frente. Digo a ele, com esperança, que espero um dia conseguir me abrir e tirar o fantasma vestido de orgulho que tanto me habita. Sei que a maturidade nos dá o caminho, mas, os receios e traumas nos deixam mudos perto do amor que está por vir.

Espero um dia voltar a ser calmaria e amor. Espero também receber compressão de mundo quando meu sorriso for pequeno. Espero que a dor não seja mais consequência do ressacar das minhas emoções. Espero que meus ombros se tornem leves quando o deitar for necessidade. Espero até demais… Não queria esperar tanto. O amor se torna inconjugável com o esperar.

Que o amor venha e deixe a dor virar vento de outono nesse coração que, mesmo não admitindo, tanto anseia pelo verão. Mas, que venha como surpresa. E, diferente de filmes de comédias românticas, nos surpreenda no final. Nos faça calar a boca, e por mais antagônico que seja, gritar quarteirões como o desamar é burrice.

Então ame, enquanto o amor ainda conversa com você. Ame enquanto a saudade ainda brinca de aparecer. Ame enquanto a solidão não se tornou constante. Ame enquanto… Só ame, esqueça o enquanto. Por enquanto.

Fred Elboni